Citroën ë-Berlingo: 5 e 7 lugares, a partir de 34.980 €

O Citroën ë-Berlingo (100% elétrico) na versão de passageiros terá lançamento em Portugal a partir de janeiro do próximo ano

Apresentação

Por AUTO FOCO 02-11-2021 19:35

A gama do ë-Berlingo contará com variantes de 5 e 7 lugares (M e XL) dividida por três níveis de equipamento: Feel (desde 34.980 €), Shine (36.410 €) e Shine Pack (37.310 €). A configuração de 7 lugares estará disponível no nível Shine Pack a partir de 38.510 €.

Nesta 3.ª geração (lançada em 2018), além da versão 1.5 Diesel HDI de 130 cv, o multiusos da Citroën passa a estar disponível com motorização elétrica de 100 kW (136 cv, 260 Nm de binário) alimentada por «pack» de baterias de iões de lítio de 50 kW (garantia de 8 anos ou 160.000 km para 70% da capacidade de carga).

A autonomia indicada é de 280 quilómetros (WLTP) e a velocidade máxima atinge 135 km/h. O consumo médio apontado é de 18 kWh/100 km, o equivalente a cerca de 2,7 €/100 km.

O modelo recorre a três programas de condução (Eco, Normal e Power) e a modo de regeneração de energia nas fases de travagem e de desaceleração (botão B na consola central). As cargas domésticas a 2,3 kW demoram até 15 horas e a 7,4 kW («wall-box») é possível abastecer em 7h30 minutos. Há a possibilidade de cargas a 11 kW (AC, trifásica, 5 horas) e em posto rápido de 100 kW (DC, 80% em 30 minutos).

O ë-Berlingo tem capacidade de carga igual à da do modelo convencional (775 litros na versão de carroçaria M e 1050 litros na versão XL – e até 4000 litros com a 2.ª fila de bancos rebatida), incluindo vários espaços de arrumação (167 litros) adicionais. Integra inúmeras ajudas eletrónicas à condução (cerca de 18) e o «Head-up display» é único no segmento, sendo ainda possível destacar o novo painel digital de 10’’ (de série na versão Feel Pack) que incorpora todas as informações a bordo.

O ecrã tátil de 8” na consola conta com menu especial que dá acesso às especificações elétricas do veículo: fluxo de energia, modo de condução ativo, nível de carga da bateria e estatísticas de consumo, incluindo a média do percurso percorrido (kWh/100 km).

Destaque ainda para os três bancos traseiros independentes, assim como para o tejadilho multifunções Modutop e para a abertura separada do óculo do portão traseiro.

Por fora, o novo ë-Berlingo distingue-se logo pelo monograma «ë» na grelha com o «double chevron» e antes da designação do modelo no portão traseiro, assim como pelo azul anodizado nos para-choques e pelos «airbump» laterais. A tomada de carga está localizada onde habitualmente se situa o bocal de combustível.

Entre as marcas generalistas, a Citroën é a que tem mais modelos eletrificados no mercado nacional, desde a berlina ë-C4 até ao multiusos ë-Spacetourer de 9 lugares, por exemplo.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação