Opel Mokka ‘acelera’ para a produção

Apresentação

Por Auto Foco 14-05-2020 11:52

A Opel revelou mais informações (e imagens) da 2.ª geração do Mokka, que ainda cumpre a etapa final do programa de desenvolvimento. O Sport Utility Vehicle (SUV) tem estreia comercial planeada para o início de 2020 e posicionar-se-á como concorrente direto de todas as referências na categoria dos subcompactos (segmento B), do Renault Captur ao Nissan Juke, do VW T-Cross ao ‘gémeo’ Peugeot 2008.

 

A integração da Opel na PSA originou paragem na produção… O SUV de 2012 não tinha os argumentos técnicos e tecnológicos dos rivais mais modernos e, por isso, investiu-se no desenvolvimento de automóvel nova, baseada em plataforma da PSA (EMP1), que a marca alemã estreou no Corsa F. Entre as novidades no catálogo, versão elétrica com a mesmo pacote de recursos do e-2008 da Peugeot, nomeadamente o motor de 136 cv e a bateria de iões de lítio com 50 kWh, capacidade ‘q.b.’ mais de 310 km entre recargas. No Opel, o sistema chama-se e-power. Os acumuladores de energia estão arrumados sob o piso, o que contribui para baixar o centro de gravidade e, simultaneamente, acrescentar 30% à rigidez torsional de toda a estrutura, características que melhoram a dinâmica da condução.

 

A Opel anuncia o lançamento da 2.ª geração do Mokka para o início de 2021, mas sem o apêndice ‘X’ que acompanha a designação do modelo desde a atualização de 2016. O automóvel mantém-se as formas compactas e a apresentação robusta do original, mas tem imagem (e tecnologia) muito mais moderna. O plano também inclui a produção de versões com mecânicas de combustão a gasolina e gasóleo, como no Peugeot 2008 ou na geração nova do Corsa, que assenta na mesma variante da plataforma CMP da PSA. Assim, na gama, 1.2 Turbo com 100, 130 ou 156 cv e 1.5 Diesel com 100 e 130 cv.

 

Dinâmica, eficiência e qualidade foram são as prioridades que orientam o desenvolvimento do Mokka novo. No Centro de Testes Rodgau-Dudenhofen, na Alemanha, os técnicos da Opel estão a trabalhar na versão de produção do SUV, privilegiando a insonorização, o comportamento e a segurança. Em fevereiro, os especialistas de chassis, motores, eletrónica e sistemas de iluminação embrenharam-se no inverno do Ártico para trabalharem no chassis e nos sistemas de assistência à condução nos gelados e nas estradas estreitas da Lapónia, na Suécia. Graças ao recurso a aços de elevada rigidez, o peso do automóvel diminui de forma significativa (até menos 120 kg, na comparação com versão equivalente da geração precedente.

 

Os protótipos de testes ainda se escondem sob uma camada de película de disfarce verde e preta, com um desenho 3-D destinado a ocultar os contornos do automóvel. De regresso à Alemanha, os especialistas concentraram-se no conforto de rolamento e na insonorização têm que manter-se em elevados níveis, mesmo na pista apelidada de ‘tortura’, socorrendo das pistas de testes que a marca possui próximo do quartel-general de Rüsselsheim, onde encontram réplicas dos pisos de estradas mais exigentes na Europa.

 

A direção e a suspensão ganharam o tato da Opel na pista de ‘handling’ e no anel de velocidade de Dudenhofen. A marca promete SUV ágil, estável, preciso e seguro. No entanto, este programa ainda não está finalizado. Até ao verão, testes e mais testes. Depois, sim, automóvel pronto a produzir.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação