Peugeot e-208

Complemento elétrico

Apresentação

Por Paulo Sérgio Cardoso 24-01-2020 09:00

A Peugeot faz questão de proporcionar aos clientes do 208 a possibilidade de escolha da melhor opção de mobilidade, pelo que a partir de 32.150€, o utilitário irá contar com a versão elétrica, parte do plano estratégico da marca que passa pela eletrificação da gama e não pela criação de modelos 100% dedicados a esse género de propulsão – como a Renault, com o Zoe.

A utilização da plataforma modular EMP2 permite que o 208 elétrico seja igual aos térmicos (por fora e por dentro), com a bateria (em forma de U) alojada sob o habitáculo, que mesmo acrescentando 340 kg ao utilitário, está colocada em posição rebaixada que permite minorar os efeitos do peso sobre a dinâmica.

A bateria tem 50 kWh de capacidade e o apurado sistema de refrigeração permite aceitar carregamentos rápidos a 100 kW, com 80% da capacidade reposta em 30 minutos. No início da comercialização, a marca irá oferecer Wall Box de 7,4 kW (carga completa em 7h30m), demorando 16h uma carga total se ligado a corrente doméstica. O início/término/programação do carregamento poderá ser agendado via aplicação MyPeugeot, através de smartphone.

A Peugeot oferece garantia de 8 anos ou 160 mil km para a bateria, trocando-a se dentro deste período baixar dos 70% de capacidade. Em todas as intervenções de manutenção, o cliente irá receber um certificado que poderá, inclusive, utilizar num momento de revenda do carro, comprovando a qualidade da bateria.

Como seria de esperar, o e-208 mexe-se de forma muito ligeira, com entrega da potência gerida por três modos de condução (Eco, Normal e Sport), sendo no último em que a entrega instantânea de potência e binário mais surpreendem (aceleração de 0-100 km/h em 8,1 s). É notória uma superior firmeza das reações da suspensão, com amortecimento adequado para aguentar o (notório) acréscimo de peso. Além do modo normal, apenas existe um modo de regeneração (B) que cria um pouco mais de efeito travão-motor.

São vários os grafismos e informações sobre condução, autonomia, carga da bateria, quer no painel central tátil, quer na instrumentação digital do i-cockpit 3D. Neste primeiro contacto, o consumo rondou os 15 kWh/100 km. 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação