Bentley EXP 100 GT

Fascinante

Apresentação

Por José Caetano 23-11-2019 09:05

Existem fabricantes de automóveis com história e marcas com muitas histórias, como a Bentley, que recentemente comemorou 100 anos. E fê-lo de forma triunfal, com a apresentação de protótipo excitante que projeta o futuro do emblema criado a 18 de janeiro de 1919, em Cricklewood, no norte de Londres, Inglaterra, pelos irmãos Walter Owen Bentley e Horace Millner Bentley. Antes da I Guerra Mundial, vendiam carros da francesa DFP. Depois do conflito militar, concretizaram o sonho de fabricarem modelos próprios e, pouco tempo depois da fundação da empresa, no salão da capital britânica, exibiram o primeiro chassis e projeto para motor com quatro válvulas por cilindro.

Os irmãos Bentley ganharam fama rapidamente, depois de fabricarem e entregarem os primeiros automóveis, o que aconteceu apenas em setembro de 1921. Como acontecia na época, para projeção da marca, recurso à competição, primeiro em Brooklands, em Inglaterra, depois em Indianápolis, nos EUA. Em 1922, nas 500 Milhas mais famosas do Mundo, 13.ª posição na corrida, com 800 km percorridos à média de 120,62 km. Ainda mais importante, o modelo não registou quaisquer problemas técnicos, o que garantiu imagem de fiabilidade e resistência ao emblema novo.

O resto da história conhece-se melhor. Em 1924, com o 3-Liter, a Bentley ganhou as 24 Horas de Le Mans pela 1.ª vez – repetiria a façanha em 1927, 1928, 1929, 1930 e 2003, por isso figurando no topo dos fabricantes mais bem-sucedidos na corrida francesa, na 5.ª posição, atrás somente de Porsche, Audi, Ferrari e Jaguar! Depois, vítima da Grande Depressão originada pelo crash da Bolsa de Wall Street, em Nova Iorque, a empresa foi liquidada, devido à travagem na procura dos automóveis dispendiosos que produzia. A compra pela Rolls-Royce salvou-a. A mudança para Crewe concretizou-se nas vésperas da II Guerra Mundial, quando o fabricante, com apoio do governo britânico, procurava local secreto para montar fábrica que garantisse a produção de motores para aviões. A marca mantém-se nestas instalações, muito modernizadas após a compra pelo Grupo VW em 1998, depois de décadas de insucessos e sucessos.

Em 2018, a marca britânica vendeu 10.494 automóveis, resultado abaixo de recorde de 11.089 registos em 2017. No catálogo, cinco produtos: Bentayga, Continental GT, Flying Supr e Mulsanne. Para o futuro, muitos planos. A eletrificação posiciona-se na linha da frente, primeiro com híbridos, depois com carros sem mecânicas térmicas. No entanto, esta tecnologia adotar-se-á apenas depois de 2025, após desenvolvimento importante na tecnologia das baterias, condição para a manutenção do estatuto de marca de elite.

Uma visão do futuro

Apresentado como «o tipo de automóvel que sonhamos para o nosso futuro » - disse-o Stefan Sielaff, o alemão à frente do departamento de design da Bentley – o estudo EXP 100 GT revela os planos de marca que abre as portas a todas as tecnologias relevantes para a indústria, incluindo a condução autónoma!

O estudo que promove «a mobilidade de luxo do futuro» tem 5,8 m de comprimento e quase 2,4 m de largura. O protótipo com arquitetura de coupé é fabricado com muitos materiais nobres (logo, caros), como alumínio e fibra de carbono. A história inspirou os designers na conceção do EXP 100 GT, que tem detalhes reminiscentes de ícones como o Continental R produzido de 1952 a 1955 (2323 exemplares).

No habitáculo, quatro bancos individuais. Adaptam-se à morfologia dos ocupantes e as posições dos assentos e dos encostos mudam, automaticamente, em função do tipo de condução selecionado (autónomo ou convencional). Sensores biométricos analisam de forma contínua pressões arteriais e temperaturas para adaptarem o ambiente a bordo. No centro da consola, encontra-se o módulo do Assistente Pessoal que regula cheiros, climatização, iluminação e qualidade do ar. O programa tem quatro programas e ativa-se gestualmente. Nas portas, monitores digitais com informações sobre a condução ou conteúdos multimédia, incluindo filmes e fotografias.

Como habitualmente, na construção do habitáculo, materiais à imagem da Bentley. No entanto, falando-se no futuro, nomeadamente em «visão do GT de 2035», a equipa de trabalho recorreu a geração nova de materiais, protetora do ambiente, incluindo couro sintético resultante da produção de vinho, tintas fabricadas a partir de cascas de arroz ou madeiras retiradas apenas de árvores que caíram de forma natural. Somam-se-lhes algodão, alumínio, cristal, etc.

No EXP GT 100, quatro motores elétricos alimentados por bateria arrumada sob o piso do habitáculo. Os diretores da Bentley não revelaram a potência do sistema elétrico, mas divulgaram o binário: 1500 Nm. Os números das performances não impressionam menos do que a imagem: 0-100 km/h em 2,5 segundos ou velocidade máxima de 300 km/h. A autonomia entre recargas é de 700 kg.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação