BMW X6

Quase meio milhão!

Apresentação

Por José Caetano 10-11-2019 11:40

A BMW, em 2007, com a estreia do Concept X6 no salão de Frankfurt, antecipou espécie nova de automóvel que associa as características dos Sport Utility Vehicles e dos Coupés. Aparentemente, contrassenso! A fórmula impõe compromissos que eliminam a maioria das qualidades reconhecidas aos primeiros e não asseguram capacidades dinâmicas semelhantes às dos segundos, desde logo pelas dimensões (e pesos) das carroçarias. A produção arrancou poucos meses depois e os 431.293 carros vendidos durante 10 anos, de 2008 a 2018, ilustram o sucesso de empreitada inspiradora até para a concorrência.

Originalmente, o Sport Activity Vehicle (SAV) baseava-se na mesma arquitetura técnica do X5, o que também sucedeu na 2.ª geração, apresentada em 2014. Agora, mantém-se a fórmula adotada como resposta à previsão de fragmentação da categoria, nas dimensões e nas carroçarias. A BMW também contribuiu para o processo de multiplicação da espécie, com o X4 derivado do X3 e o X2 produzido a partir do X1. O X6 teve apresentação no IAA-2019 (setembro). Na mesma exposição, novos Série 1, Série 3 Touring ou X1, mais o Série 8 Gran Coupé.

O X6 novo tem estreia comercial planeada para dezembro. Na comparação com o carro que substitui, o SAV cresce em todas as dimensões, exceto na altura, que diminui de forma marginal (6 mm). Os aumentos são de 26 mm no comprimento, 42 mm na distância entre eixos e 15 mm na largura. Teoricamente, mantendo-se a capacidade da mala, este progresso beneficia mais os ocupantes dos bancos traseiros… A bagageira tem apenas 580 litros, contra os 650 que encontramos no compartimento de carga do Mercedes-Benz GLE Coupé, referência na categoria, neste item. Rebatendo os encostos dos bancos traseiros, 1530 litros de volume máximo.

Em 2008, o X6 não dispunha de concorrentes diretos. Entretanto, após confirmação do potencial de nicho de mercado muito rentável, multiplicação da espécie, com Audi Q8, Mercedes-Benz GLE Coupé ou Porsche Cayenne Coupé! Para renovação da capacidade de atração, modelo otimizado pela BMW. Entre as novidades, pela 1.ª vez na marca da hélice, possibilidade de iluminação da grelha dianteira, que tem formato XXL, como acontece nos topos de gama Série 7 e X7 (este sistema ativa-se na abertura e no fecho das portas ou até durante a condução).

Também pela 1.ª vez, e igualmente em opção, X6 com Laserlight. Esta tecnologia de luz garante iluminação até cerca de 500 metros e combina-se com os faróis LED. A lista de equipamentos, extensíssima, como é habitual na marca da hélice, inclui diversidade de assistências eletrónicas à condução, incluindo regulador ativo de velocidade (combina-se com a função Stop & Go que acelera, trava e pára o SAV de forma automática nos congestionamentos de trânsito ou nos semáforos, deteta obstáculos, de ciclistas a peões e dispõe de programa de imobilização de emergência), apoio ao parqueamento, monitorização dos ângulos mortos dos retrovisores exteriores e manutenção do automóvel no centro da via, com alerta de transposição involuntária dos limites da faixa de rodagem (ativa-se com a transposição das linhas na estrada, quando a manobra não é sinalizada).

Tratando-se de automóvel com posicionamento elitista, o X6 combina conforto e luxo. Privilegiando-se o primeiro, entre os opcionais, bancos dianteiros com sistemas de massagem e ventilação, climatização com quatro zonas de regulação da temperatura da climatização no interior, teto panorâmico em vidro com mais 83% de superfície do que o atual, carregamento sem fios de telemóveis, diversos controlos com acabamentos em vidro, vide punho do seletor da caixa de velocidades e seleção de fragrâncias para o interior. O sistema de som mais potente é da Bower & Wilkins e tem 20 altifalantes.

No X6, como no X5, BMW Live Cockpit Professional com dois monitores de 12,3’’. O da esquerda inclui o painel de instrumentos digital e muda de apresentação de acordo com a função de condução selecionada. O da direita, sensível ao toque, é a base do sistema multimédia e inclui Assistente Pessoal Inteligente ativado por voz que facilita a procura de informações em bases de dados na Internet. O software permite atualizações e até o comando remoto de muitas funções do automóvel, sincronizando-o com telemóvel.

No lançamento do X6, quatro motores, dois a gasolina e dois Diesel, e duas versões M Performance preparadas pela subsidiária desportiva da BMW. Apenas o topo de gama M50i tem mecânica de 8 cilindros, com 4,4 litros e 530 cv. As outras versões partilham a arquitetura de 6 cilindros em linha, com o M50d a sobressair por contar com sistema de sobrealimentação que integra quatro turbocompressores de geometria variável (dois atuam a alta pressão, dois apenas a baixa), fórmula para resposta instantânea e musculada aos movimentos no pedal do acelerador, independentemente do regime de funcionamento. A caixa Steptronic de 8 velocidades, de série, combina programa automático com função manual comandada de forma sequencial em patilhas no volante.

Também de série, tração integral (xDrive). O sistema privilegia a transferência de energia para as rodas traseiras, acionando as dianteiras apenas em caso de necessidade, acelerando-se ou perdendo-se aderência. O funcionamento é regulado eletronicamente. Em opção, pacote M Sport com Performance Control que simula a intervenção de autoblocante mecânico no eixo traseiro, otimizando a dinâmica, a precisão e a segurança na condução. Nas versões M Performance, escapes desportivos. Pretendendo-se X6 com mais aptidões TT, a BMW propõe pacote xOffroad que inclui programa para eleição de vários programas de ação fora de estrada (assim, adaptação do automóvel aos diversos tipos de pisos, de neve a lama ou pedra).

O chassis do X6 é semelhante ao da geração nova do X5, mas tem regulação específica, mais desportiva. De série, a suspensão associa molas helicoidais a amortecedores controlados eletronicamente (no Dynamic Damper Control, regulação automática e manual dos níveis de firmeza). Entre os extras, duas alternativas: Adaptive M Professional com barras estabilizadoras ativas (eliminam os movimentos da carroçaria durante as transferências de massa muito comuns em curva) e rodas traseiras direcionais (mais agilidade, estabilidade e maneabilidade) ou amortecimento pneumático (aumenta ou diminui a distância da carroçaria ao solo, até ao máximo de 80 mm, em comando na consola).

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação