VW Passat

Impulso... elétrico

Apresentação

Por Ricardo Jorge Costa 27-10-2019 12:25

A Volkswagen renovou o Passat de oitava geração, em comercialização desde 2014, com ligeiro refrescamento da imagem exterior e do interior, neste incluindo a modernização da tecnologia de infoentretenimento, e com motorizações em estreia e outras melhoradas na eficiência energética, com destaque para inédito Diesel 2.0 de 150 cv em versão Evo, de mais baixos consumo e emissões. Há ainda evolução do híbrido plug-in GTE, com maior autonomia em modo elétrico, e por último, a edição especial desportiva e limitada da carrinha Variant R-Line Edition, com os motores mais potentes da gama.

A modernização do design foi discreta, sobressaindo tão somente a nova grelha, o formato revisto dos faróis dianteiros, integrando tecnologia de iluminação de matriz de LED (IQ.Light), e pouco mais. No interior, realce para a estreia de painel de instrumentos digital (um equipamento opcional), a nova geração do Active Info Display, com ecrã de 11,7 ‘’ com desempenho otimizado (maior densidade de pixels, melhor performance gráfica, mais brilho e cores mais intensas) e multiconfigurável a partir de botão (View) no volante igualmente novo.

A Volkswagen atualizou igualmente sistema de infoentretenimento e de conectividade com nova geração do sistema multimédia MIB3. Uma série de sistemas modulares de infoentretenimento com cartão SIM integrado que permite ao We Connect, serviços de conectividade e ligação em rede, diversas funcionalidades como streaming de música, rádio web, aplicações digitais ou controlo por voz, entre outras. Uma versão deste sistema estará orientada para o mercado de frotas, o We Connect Fleet, com diário de bordo digital com rotas, consumos e gestão de manutenção para redução de custos operacionais.

Em opção, bancos especiais e sistema de som Dynaudio. A VW investiu ainda na redução do ruído e das vibrações no habitáculo, incluindo a afinação das suspensões.

O automóvel alemão tem novas versões de equipamento: Passat (base), Business e Elegance (topo de gama), além da desportiva R-Line apenas disponível nas motorizações mais potentes. No nível de entrada (Passat), de série destacam-se as jantes de liga leve de 16”, o sistema de multimédia VW Connect e o assistente de prevenção de colisão Front Alert Assist. No Business, intermédio na gama, acrescenta-se ar condicionado automático e sistema de navegação. E no topo da hierarquia, o Elegance, que reforça aquela dotação com jantes de 17”, monitor central de 9,2”, câmara traseira e, em opção, kit desportivo R-Line para o exterior do veículo.

Disponível mediante pagamento adicional, e outra novidade no Passat, o sistema de auxílio à condução Travel Assist, em que funcionam em harmonia o programador de velocidade ativo, o sistema de navegação e a câmara de leitura de sinais de trânsito, permitindo ao veículo, de forma quase autónoma até aos 210 km/h, adaptar a velocidade ao percurso (incluindo curvas, rotundas, cruzamentos, etc.) e aos limites de velocidade.

Nas motorizações, estreia de 2.0 TDI Evo de 150 cv, entre a gama Diesel que dispõe igualmente de 1.6 TDI de 120 cv e 2.0 TDI de 190 e 240 cv (biturbo). Nos motores a gasolina, 1.5 TSI de 150 cv com sistema de desativação de (dois) cilindros. Por fim, o híbrido plug-in GTE de 180 cv. Todos os blocos associados a caixa automática DSG de 7 velocidades, à exceção do TSI, que tem de série manual de seis relações.

O híbrido GTE evolui com uma nova bateria de maior capacidade (13 kWh contra 9,9 kWh da antecessora), que permite ao plug-in, disponível nas variantes berlina e carrinha, atingir 55 e 56 km de autonomia elétrica, respetivamente, em ciclo de homologação WLTP. Um avanço importante, considerando que a anterior bateria assegurava ao veículo 50 km em modo no antigo ciclo NEDC (a evolução equivaleria a 70 km), medido em condições laboratoriais, muito menos consonantes com a utilização real da viatura (WLTP).

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação