Porsche 911 Carrera Cabriolet

Deus no Olimpo

Apresentação

Por José Caetano 30-06-2019 16:10

O Monte Olimpo é a montanha mais alta da Grécia, atingindo os 2917 metros acima do nível do mar. Situa-se a cerca de 100 km de Salónica, a 2.ª maior cidade helénica, depois da capital do país, Atenas. Na mitologia grega, é a mansão dos doze deuses, que têm aí os tronos. Socorrendo-nos desta analogia, no panteão da indústria automóvel, encontramos, entre outros modelos, o Porsche 911, que tem descapotável no catálogo apenas desde 1982. Assim, em simultâneo com o lançamento do Coupé da 8.ª geração do carro desportivo de referência, os alemães apresentam-nos a 6.ª do descapotável, também primus inter pares!

A comparação do Coupé com o Cabriolet, mais do que revelante, é obrigatória. Como o segundo adota a mesma base do primeiro, os pontos de contacto encontram-se muito mais facilmente, simplificando o reconhecimento de prós e contras… A eliminação do tejadilho fixo, sem surpresa, nota-se na rigidez, de forma negativa, mas os engenheiros da Porsche, aproveitando os conhecimentos e as tecnologias disponíveis, fizeram o melhor descapotável na história do 911. Confirmam-no tanto os números, como a dinâmica, valorizando-se tanto o conforto, como o comportamento desportivo!

Comparado com o antecessor, o Cabriolet, como o Coupé, tem mais alumínio e menos aço – encontramo-lo por toda a parte, do exterior ao interior, das portas aos painéis, dos reforços da parte inferior da carroçaria aos suportes das suspensões, da cobertura central do túnel da transmissão, na seção posterior, às caixas dos para-choques. Combinado com mudança no processo de produção, progresso de 5% na resistência à torção e flexão e retrocesso de 12 kg no peso. Ainda assim, o 992 não é mais leve do que o 991, por contar com mais equipamentos, sobretudo assistências à condução, e à adoção de filtro que reduz as emissões de partículas da mecânica a gasolina. Pela 1.ª vez, existem pneus de maior diâmetro no eixo traseiro (21’’) do que no dianteiro (20’’). A explicação de técnico da marca: «Assim, aumenta-se a estabilidade e diminui-se a deformação no contacto com o piso».

O 992 preserva a arquitetura das suspensões do 991, mas a largura das vias aumentou: 46 mm à frente, 39 mm atrás. Para o chassis, duas regulações disponíveis, com o Sport, opcional, menos 10 mm de altura livre da carroçaria ao solo… Esta fórmula combina-se com geração nova da suspensão PASM, com amortecimento eletrónico. Produzido pela Bilstein em parceria com o fabricante de Estugarda, monitoriza o comportamento do automóvel «centenas de vezes por segundo e precondiciona os níveis de compressão ainda durante a fase de extensão, quando a roda passa por irregularidade no piso». As estradas que percorremos na apresentação dinâmica do 911 Cabriolet, na região de Ática, muito próximo de Atenas, não eram as melhores do Mundo, mas o Porsche devorou-as fácil e rapidamente, impressionando quer pela estabilidade direcional em reta, quer pela precisão nas transferências de massa, em curva ou nas mudanças repentinas de direção, abandonando a trajetória só no limite da aderência, reação corrigida com segurança no volante e acelerador.

O PASM também entra em ação quando ativamos o programa Launch Control (controlo de arranque) da caixa, impedindo que a dianteira do Carrera afunde demasiado durante a aceleração. Os amortecedores são regulados individualmente, como acontecia no 991. O mesmo técnico explicou-nos que o funcionamento da direção também foi otimizado, melhorando-se, simultaneamente, a firmeza e a suavidade. Assim, adaptação ótima ao tipo de condução! A Porsche melhorou, ainda, a capacidade de travagem, recorrendo a dois sistemas desenvolvidos pela Brembo. No equipamento de série, discos maiores no eixo posterior (+20 mm), crescimento que acompanha o aumento nas dimensões das rodas. Opcionalmente, discos carbocerâmicos. Em qualquer dos casos, não há ligação física entre o pedal e o circuito hidráulico que aciona as pinças. Vantagens: reação mais direta, toque mais rígido e preciso, sensações de mais potência. A marca anuncia menos 1 metro no 100-0 km/h e, no 300-0 km/h, menos 12 metros. Também entre os extras, quatro rodas direcionais.

Mecanicamente, o Carrera Cabriolet é muito semelhante ao Carrera Coupé. Na lista de novidades, extensa, motor mais potente e caixa automática de 8 velocidades (no lugar da PDK de 7). A mudança tornou as passagens ainda mais rápidas, a velocidade máxima atinge-se em 6.ª (o escalonamento longo da 7.ª e da 8.ª modera os consumos de combustível). O sistema adaptado do estreado no Panamera inclui programa P (Parque) e apresenta-se preparado para a inclusão de motor elétrico, o que sucederá, muito provavelmente, na fase «2» da carreira do 992, nas primeiras versões híbridas do 911. A PDK também tem modo de seleção manual-sequencial ativado em patilhas grandes q.b. no volante.

No S, tração traseira otimizada. No 4S, quatro rodas motrizes, com mecanismo, melhorado que privilegia o eixo posterior, mas permite a entrega de mais de 50% do binário ao dianteiro. No volante, comando rotativo de modos de condução com programa novo, para somar aos três (re)conhecidos: Normal, Sport e Sport Plus. Chama-se Wet Mode e regula a configuração do automóvel, em caso de água a mais no asfalto. E, na Grécia, encontrámos chuva e estradas molhas. O sistema, se o condutor não reagir às mudanças nas condições climatéricas e do piso, ativa-se de forma automática (alerta comunicado no painel de instrumentos) e muda as respostas dos apoios eletrónicos à condução, acelerador, caixa, repartição da energia do motor entre os eixos e até os elementos ativos do pacote aerodinâmico. Objetivo: prevenção de perdas de aderência das rodas, ignorando o estado da estrada e conduzindo de forma desportiva.

Nos Carrera S, com tração traseira ou 4, evolução do motor de 6 cilindros a gasolina, com arquitetura boxer, injeção direta e dois turbos que a Porsche introduziu no 991.2. A potência progride 30 cv, para 450 cv (iguala o rendimento da mecânica montada nas versões GTS da 7.ª geração do 911) e o binário máximo de 530 Nm mantém-se entre as 2300 e as 5000 rpm. O poder de fogo é enorme! O bloco foi reposicionado para otimização da repartição de massa e, futuramente, integração de sistema híbrido. Combinado com o escape novo, reações mais rápidas e, durante as situações de carga máxima, menos consumo.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

PORSCHE 911

Carrera 4S Cabriolet

Motor
Arquitetura 6 cilindros boxer
Capacidade 2981 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2x2 a.c.c./24 v
Potência 450 cv/6500 rpm
Binário 530 Nm/2300-5000 rpm
Transmissão
Tração Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,2 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,519/1,852/1,299 m
Distância entre eixos 2,45m
Mala 132 litros
Depósito de combustível 64 litros
Pneus F 8,5jx20-245/30 R20
Pneus T 11,5jx21-305/30 R21
Peso 1710 kg
Relação peso/potência 3,8 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 304 km/h
Acel. 0-100 km/h 3,8 s
Consumo médio 9 l/100 km
Emissões de CO2 207 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação