Lexus ES 300h

O culto do silêncio

Apresentação

Por Paulo Sérgio Cardoso 23-03-2019 13:00

Depois de um 2018 marcado pelo recorde de vendas da Lexus na Europa, com 76.188 unidades transacionadas, a marca de luxo do Grupo Toyota tem, em 2019, um importante reforço. O ES, modelo que substitui o (entre nós) mais conhecido GS.

Embora seja a primeira aparição do ES na Europa, este modelo existe na marca japonesa desde 1989 (ano de nascimento da própria Lexus), sendo esta já a sétima geração. Face ao GS, destaque para as distintas proporções da carroçaria, com silhueta de grande berlina coupé, bem como a utilização de nova plataforma de tração dianteira.

Sob o capot, mais novidades, sem perder de vista a orientação da propulsão por meio de módulo híbrido. Em mais este passo evolutivo, o ES estreia aquele que é o mais eficiente motor térmico (41%) montado em automóveis, caso de totalmente nova unidade de 2,5 litros a gasolina. Novas são também as baterias, que embora mantenham a constituição em hidretos metálicos de níquel, são agora 10% mais compactas e puderam ficar arrumadas sob o banco traseiro, o que permite não só libertar espaço de carga na bagageira, como rebaixar o centro de massa, devido à colocação 12 cm mais próxima da estrada. A Lexus reforça o sistema self-charging (ou seja, não possibilita recarga das baterias em tomada doméstica) enquanto solução mais adequada na relação custo-benefício. No total, somando motor térmico e unidade elétrica, o ES 300h (única motorização disponível em Portugal) debita 218 cv, com a marca a anunciar um (mais realista) consumo médio de 5,3 l/100 km segundo o novo ciclo WLTP – e emissões de CO2 de 120 g/km na versão de acesso.

Embora de tração dianteira, o módulo da transmissão do ES está montado no eixo traseiro (arquitetura transaxial), funcionando enquanto múltiplos eixos dos motores elétricos, permitindo que o mecanismo (que na prática funciona como uma caixa CVT de atuação elétrica) seja mais compacto.

No interior, respira-se o ambiente requintado com que a Lexus nos tem habituado nos últimos tempos, definido pelos acabamentos sugeridos em cada uma das seis versões que estão à venda em Portugal: Business (61.318 €), Executive (65.818 €), Executive+ (66.818 €), F Sport (67.818 €), F Sport + (72.821 €) e Luxury (77.321 €). Os estofos em pele e volante com regulações elétricas, bem como teto de abrir, cruise control adaptativo e sistema de navegação são elementos de série em toda a gama. As versões Luxury e F Sport + acrescentam o monitor central de maiores dimensões (12,3’’ vs 8’’) e o sistema de som Mark Levinson de 17 colunas. As versões F Sport, de orientação e identidade mais desportiva, diferenciam-se não apenas esteticamente, como pela presença de suspensão de amortecimento adaptativo e bancos mais envolventes com logo próprio, além de acabamentos interiores em alumínio e painel de instrumentos específico e modular. De carácter mais refinado, a versão Luxury diferencia-se pelo género dos revestimentos em pele nos bancos, bancos dianteiros e traseiros aquecidos e ventilados, ou mesmo os ajustes elétricos do ângulo das costas, atrás.

O certo é que, independentemente da versão, ao longo dos primeiros quilómetros ao volante desta grande berlina (com mais de 4,9 metros de comprimento!) concorrente de Audi A6, BMW Série 5 ou de Volvo S90) o conforto e a insonorização são, de longe, os argumentos a reter, e até tidos como referenciais face à supracitada concorrência. Não só porque as suspensões trabalham de forma quase miraculosa no disfarce das imperfeições da estrada, como o amortecimento variável presente nos F Sport garante os necessários apuros e controlos dinâmicos sem quebrar a serenidade rolante. O módulo de motorização híbrido tem igualmente parte (muito!) ativa neste cenário, quer pela enorme suavidade na forma como a potência chega às rodas dianteiras, quer pela forma quase impercetível com que motor a gasolina e elétrico agora trabalham, ora ligando, ora desligando. E é precisamente devido a esta bem gerida atuação da eletrónica que o ES 300 h pode realizar consumos médios reais em torno dos 6,6 l/100 km, já que o motor a combustão passa, realmente, muito tempo desligado. Face às qualidades estradistas do ES, alguns clientes terão dificuldade em entender qual a razão da velocidade máxima ser de 180 km/h...

Modelo de excelentes qualidades de rolador em autoestradas, o ES destaca-se ainda pela muito generosa oferta de espaço para pernas no banco traseiro (só 1 mm menos que no topo de gama LS!), somando-lhe bem-estar na acomodação dos passageiros.

Entre as tecnologias de apoio à condução, destaque para a identificação de ciclistas na estrada e agora de peões também durante a noite.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

LEXUS ES

300h

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 2487 cc
Alimentação Injeção direta
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 178 cv/5700 rpm
Binário 221 Nm/3600-5200 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 120 cv
Binário 202 Nm
Bateria Hidretos de Níquel Metálicos
Capacidade da bateria
Módulo Híbrido
Potência 218 cv
Binário -
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática, direta, do tipo ECVT
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Duplos triângulos
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,975/1,865/1,445 m
Distância entre eixos 2,87m
Mala 454 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 215/55 R17
Pneus T 215/55 R17
Peso 1740 kg
Relação peso/potência -
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 180 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,9 s
Consumo médio 5,3 l/100 km
Emissões de CO2 120 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação