Vespa 300 GTS

A mais potente da história

Motos- Apresentações

Por Paulo Ribeiro 07-07-2019 21:05

Evolução sem revolução, antes mantendo fidelidade absoluta ao inconfundível estilo moldado em aço estampado que, há 70 anos, serve de base para uma máquina ímpar, a nova 300 GTS é a mais potente scooter na história da Vespa.

O motor hpe (high performance engine), já conhecido da Piaggio MP3 de três rodas, chega à maior das ‘Vespone’ – designação para as carroçarias maiores da gama do fabricante italiano – para reforçar atributos de mobilidade e diversão, de polivalência e aventura. Mais do que simples meio de transporte, a 300 GTS assume-se não só como a mais potente mas também a mais equilibrada do catálogo, fácil no quotidiano urbano como eficiente na estrada livre num fim da tarde ou ao fim-de-semana. Mais do que a potência acrescida – ganhou 1,8 cv, 750 rpm mais acima – é o aumento de binário (+3,7 Nm, cerca de 18%) e, sobretudo, a maior prontidão na resposta que se fazem sentir. Acelerações e recuperações mais vivas em motor que é, quase paradoxalmente, mais suave graças às mudanças na transmissão, com geometria revista e cinta em novo material, melhorando prestações e reduzindo ruídos e vibrações.

Com mudanças no bloco que vão da cabeça do cilindro ao pistão, passando por alterações no sistema de distribuição e injeção aprimorada, a Vespa GTS 300 hpe revelou arranques mais poderosos, sem perder para as mais leves e ágeis 125 cc, melhorias que se prolongam à medida que sobe a rotação, com bom alongamento que favorece a fluidez na condução, subindo de velocidade quase sem se dar conta.

Mas a revisão prolongou-se a outros capítulos da ficha técnica, com garantia de estabilidade dada pelo controlo de tração ASR, com possibilidade de ser desligado e de intervenção bem ajustada, apenas quando é mesmo necessário intervir na entrega do binário, por questões de segurança, ao detetar diferenças na rotação das duas rodas. Maior eficácia e segurança em todo o tipo de pisos, e que, em cidade, ajuda a enfrentar serenamente as pinturas de passadeiras, tampas de saneamento ou carris metálicos, obstáculos em grande evidência perante as rodas de 12 polegadas. Que, já se sabe, favorecem agilidade citadina tornando a dianteira muito reativa, com excelente maneabilidade no trânsito mas que, graças à estrutura do chassis de aço, não limitam estabilidade nas mais divertidas estradas. Mesmo se o diâmetro das jantes e a exclusiva suspensão dianteira, com monobraço e aralelogramo, dotado de sistema ESS que funciona como pivot na ligação do suporte de alumínio à roda, requer alguma habituação. Detalhe que marca a exclusividade da casa veneziana desde a original Vespa 98, de 1946, e que contribui para conforto acrescido e comportamento de grande estabilidade, limitando afundamento da dianteira em travagem. Além da grande progressividade e capacidade de absorção, com reflexos notórios na leveza da direção, mesmo a curvar nos pisos mais degradadas, bem como no conforto em todas as situações. Mesmo nas travagens mais fortes permitidas pelo conjunto de discos de 220 mm apoiado em ABS que se revelou pouco invasivo, contribuindo para maior animação numa travagem potente e bastante progressiva, boa em condução mais relaxada mas obrigando grande determinação na luta diária pela sobrevivência na selva urbana.

Esteticamente, a revisão, discreta mas eficaz, está patente em pormenores como os faróis integralmente em LED agora com aros metálicos de grande classicismo, ou na longa gravata que vai do farol ao guarda-lamas, terminando com redesenhada (falsa) entrada de ar onde está a buzina. Também o banco foi alvo da atenção dos designers de Pontedera, mais amplo e com nova forma que dilui sensação inicial de alguma dureza, oferecendo posição de condução intuitiva e descontraída, ainda que, como em todas as Vespa, ligeiramente enrolada sobre o baixo guiador.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

VESPA GTS

300 HPE

Motor
Capacidade 278 cc
Potência 23,8 cv/8350 rpm
Binário 26 Nm/5250 rpm
Transmissão
Tipo Monocilindro, 4 Tempos
Ciclística
Quadro Coque em aço estampado com reforços estruturais soldados
Suspensão F Monobraço oscilante com sistema anti-afundamento, com mola helicoidal e amortecedor hidráulico. Curso n.d.
Suspensão T Duplo amortecedor hidráulico, curso n.d., regulável em quatro posições de pré-carga da mola
Travões F Disco de 220 mm, pinça de 2 pistões. ABS
Travões T Disco de 220 mm, pinça de pistão simples. ABS
Dimensões e Capacidades
Altura do assento 790 mm
Depósito de combustível 7 litros
Peso 160 kg
Relação peso/potência 6,72 kg/cv
Consumo médio 3,2 l/100km
Preço
Preço 6 175 €

Conte-nos a sua opinião 0

Motos- Apresentações