SYM Jet14 LC/ABS

Argumentos reforçados no desafio à rainha

Motos- Apresentações

Por Paulo Ribeiro 10:25

Com a Jet14, a SYM assumiu, há dois anos, ousada aposta ao desafiar a Honda PCX, dona e senhora do mercado nacional. Agora, para 2019, a marca de Taiwan reforça os argumentos para os mais desportivos dos utilizadores urbanos. Ao sentido prático, espaço de arrumação, bons acabamentos e grande eficácia dinâmica a preço muito competitivo, junta-se o motor de refrigeração líquida bem testado na Symphony, disco de travão na traseira e ABS de série. Nova versão que, numa primeira fase, partilhará o mercado com a Jet14 de motor refrigerado por ar forçado (2399 €) e que, entre as novidades, conta com nova iluminação em LED, e painel de instrumentos com generoso mostrador digital.

Ocupando o pódio de vendas em Portugal com cerca de 500 unidades vendidas, atrás das japonesas Honda PCX e Yamaha NMax, a Jet14 mostra novos trunfos na tentativa de chegar ao trono. A estética apelativa, de acutilantes traços desportivos e onde não faltam texturas distintivas, das várias peças em alumínio às coberturas em plástico que, à primeira vista, até parece exclusiva fibra de carbono, foi reforçada com novos faróis. Ar moderno e jovem, seguindo tendências de moda urbano-desportiva, transmitindo sensação de leveza e facilidade, da secção dianteira de vincada agressividade, com dois faróis encimados por luzes de presença em LED, ao farolim traseiro em LED 3D.

Imagem interessante, com acertadas proporções que prosseguem na parte lateral, com bom encaixe entre os plásticos e o banco, de agradável perfil e altura que facilita apoio dos pés no solo, pecando apenas pelo nível de conforto, sensível nas ligações mais longas ou em pisos mais degradados, que poderia ser melhorado com enchimento de maior densidade.

Bem melhor o espaço para as pernas de qualquer condutor, entre o metro e meio e os dois metros de altura, graças à plataforma plana para os pés e boa distância ao avental dianteiro, onde existe espaço para arrumação de pequenos objectos. Que pode ser fechado, sem chave, possuindo porém vetusto e pouco prático sistema de abertura. Ainda no posto de comando, de ergonomia facilitadora para os ‘newcomers’, com tronco direito, bom acesso dos pés ao solo e guiador oferecedor de boa abertura aos braços mas sem ser minimamente cansativo, nota para o novo painel de instrumentos, juntando todas as informações, bem completas, na janela digital de boa visibilidade.

Em andamento, destaque para a boa agilidade e grande elasticidade do motor, surpreendente mesmo quando se aproxima o limite do conta-rotações. Bloco de refrigeração líquida, oferecedor de acelerações consistentes e recuperações de muito bom nível, garantindo rapidez nas partidas de semáforo e permitindo ainda boa velocidade máxima, acima dos 110 km/h no mostrador, permitindo ritmos de cruzeiro em vias rápidas e estradas nacionais nada entediantes. Altura em que também o quadro revela boas credenciais, aguentando as mudanças de direcção mais abruptas e as maiores inclinações sem grandes queixas. Estabilidade e rigor – apesar da plataforma poisa-pés completamente plana e sem estrutura de reforço entre as pernas – cujo limite é ditado pelo ruído metálico causado pelo contacto do descanso central com o asfalto. E note-se que este limite é atingido sem o menor sinal de instabilidade, tão pouco qualquer susto ou comportamento negativo.

‘Saúde’ que continua no amortecimento, de conforto bastante aceitável apesar da primazia dada à eficácia ‘desportiva’, com excelente pisar da roda dianteira, de ótimo retorno de sensações e sem a sensação de peso acrescido que seria de esperar atendendo ao perfil mais largo (110/90) do pneu dianteiro. Atrás, a colocação da potência no solo é percetível e o comportamento em mau piso não fica nada a dever às referências da categoria, com estabilidade a toda a prova. Mesmo nas travagens mais repentinas onde o novo sistema de ABS reforça atributos de travagem que já oferecia muito bom nível em conjunto de boa progressividade e potência suficiente em todas as situações.

Apta a ser conduzida também com carta de automóvel, a SYM Jet14 LC/ABS oferece mobilidade com a melhor relação entre preço, qualidade e prestações, em modelo que de imagem moderna e desportiva. E está disponível em branco, preto ou castanho, com particularidade de vir acompanhada de garantia de 5 anos ou 100 mil quilómetros, prova da confiança da marca em todos os modelos com 125 cc ou mais.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

SYM JET14

LC/ABS

Motor
Capacidade 125 cc
Potência 11 cv/8000 rpm
Binário 10,7 Nm/6000 rpm
Transmissão
Tipo Monocilíndrico, 4 Tempos
Ciclística
Quadro Duplo berço em tubos de aço
Suspensão F Forqueta tele hidráulica, curso N.D.
Suspensão T Monoamortecedor, regulável em pré-carga, curso N.D.
Travões F Disco de 260 mm, pinça de 2 pistões. ABS
Travões T Disco de 220 mm, pinça de pistão simples
Dimensões e Capacidades
Altura do assento 780 mm
Depósito de combustível 7,5 litros
Peso 122 kg
Relação peso/potência 11 kg/cv
Consumo médio 2,5 l/100km
Preço
Preço 2 649 €

Conte-nos a sua opinião 0

Motos- Apresentações